Os cornos da Lua

Recentemente um amigo meu veio do Peru e mostrou-me uma foto diurna da Lua com os cornos virados para cima. “Estás a ver, disse ele, é porque estamos mais perto do Equador e a luz do Sol vem num ângulo quase perpendicular à superfície da Terra.”

Ok, pensei eu. Fixe! Para um observador no Equador, num equinócio, em que a superfície da Terra está perpendicular à eclíptica, a Lua deverá aparecer, durante as fases crescente e minguante, com os cornos para cima. Para um observador num dos pólos, com a superfície da Terra paralela à eclíptica, a Lua deve aparecer com os cornos para a direita ou para a esquerda. Faz sentido...

De Helsínquia a Cabo Verde

Porém, quando uma destas noites olhei a Lua, lá estava ela com os cornos virados para cima, numa posição muito parecida com a foto do Peru. O caso intrigou-me, achei que tinha que ver a foto de novo. Mas acabo de fazer uma viagem de Santarém para Lisboa, à noite, e o raio da Lua esteve sempre a olhar para mim, com os cornos virados para cima! Como não tinha mais nada para fazer, além de guiar, acabei por pensar no assunto. A latitude de Lisboa é de 38º 42’N. Estamos perto do solstício de Inverno e o eixo da Terra está inclinado 23o26’ em relação à eclíptica. Ao meio-dia a nossa posição é 61º 48’N (38º 42’+23º 26’), em relação ao plano da eclíptica, o que equivale a Helsínquia na meia-estação. Por isso faz frio.

Mas quer dizer também que agora à meia-noite passamos a 14º 56’N (38º 42’—23º26’) em relação à eclíptica, quer dizer à latitude de Cabo Verde. Se isso não nos beneficia em nada na questão da temperatura, porque a essa hora o Sol não nos aquece, influencia no entanto a forma como vemos a Lua nas noites de Inverno.

O facto é que viajamos pelos trópicos à noite durante o Inverno e a Lua mostra os cornos para cima. Estamos mais habituados a ver a Lua no Verão (em que vamos a Helsínquia à noite) e também na Primavera e no Outono, em que nos mantemos na nossa zona temperada. Mas o céu tem estado limpo este Inverno e a Lua deixa-se ver.

Acabo de ver a Lua às 3 da tarde e, sim senhor, os cornos apontam para o lado... No Verão que vem, quero ver se, quando se vê a Lua de dia, ela mostra os cornos para cima...

Quadro de visão da Lua durante o ano em Lisboa

(As imagens representam a Lua em quarto crescente, mas valem para o quarto decrescente)

  06:00h Meio-dia 18:00h Meia-noite
Solstício de Inverno
Estamos em “Helsínquia” de dia
e em “Cabo Verde” à noite;
passamos em “Lisboa”
às 6:00/18:00h de cada dia

38º

65º

38º

15º
Solstício de Verão
Estamos em “Cabo Verde” de dia
e em “Helsínquia” à noite;
em “Lisboa” às 6:00/18:00h
de cada dia

38º

15º

38º

65º
Equinócios
Nos equinócios estamos em
“Helsínquia” ou em “Cabo Verde” às 6:00/18:00h de cada dia
e em “Lisboa” à meia-noite
e ao meio-dia

65º

38º

15º

38º
A Lua, contrariamente a outros satélites do Sistema Solar que têm órbitas no plano de rotação dos seus planetas, orbita num plano perto da eclíptica (plano da órbita da Terra), fazendo um ângulo de 5º com este. É de esperar que a Lua oscile alguns graus a mais ou a menos das posições acima marcadas, pois o quadro assume, para simplificar, que a Lua orbita exactamente na eclíptica.

 

Dados sobre a Lua na Wikipedia em português (Lua) e em inglês (Moon). Este fenómeno dos cornos da Lua é conhecido em inglês por Boat Moon (Lua Barco)

Dezembro de 2007

Nota: Se disse asneira, peço desculpa aos astrónomos. Eu sou apenas um curioso...


Carlos Cabanita

Feeds do meu blogue